scroll

© 2012 Todos os direitos reservados
Natural
DOS AÇORES
Os Açores são a nossa origem.
Um arquipélago ímpar, com paisagens deslumbrantes e percursos inesquecíveis.
Uma verdadeira inspiração, de um azul mar e verde do campo únicos, que proporcionam uma experiência memorável!

Venha descobrir!
Download guia dos açores
 
SÃO MIGUEL
São Miguel, também conhecida por “Ilha Verde”, é a maior ilha do arquipélago.

A capital, Ponta Delgada, alberga a sede da presidência da Região Autónoma dos Açores e conta com o porto de pesca e comércio mais importante do arquipélago. É também em São Miguel que fica a única universidade existente nesta região e um dos três aeroportos internacionais dos Açores.

Propomos uma visita a Sete Cidades com passagem por Mosteiros, um passeio até Furnas e a descoberta dos tesouros de Ponta Delgada.

PERCURSO 1: MIRADOUROS, SETE CIDADES E MOSTEIROS
Partindo de Ponta Delgada em direção a Relva, vire à direita depois do miradouro em direção a Covoada. Siga pela estrada do Pico do Carvão (1) onde encontrará outro miradouro com vista para a costa norte da ilha.

Prossiga para a Lagoa do Carvão e Lagoa do Canário, com paragem no miradouro da Vista do Rei, com uma fabulosa vista panorâmica para a Lagoa (2) e freguesia das Sete Cidades. Ao descer para as Sete Cidades, mais um ponto de paragem: o miradouro do Cerrado das Freiras e da Lagoa de São Tiago.

Saindo da freguesia das Sete Cidades pela estrada da Seara em direcção a Várzea, encontrará o Miradouro do Escalvado (3), com vista para Ferraria, ilhéus e freguesia de Mosteiros. Vale a pena descer até Mosteiros e, se o tempo o permitir, aproveitar a zona balnear com praia e piscinas naturais.

O regresso a Ponta Delgada poderá ser feito pela costa Sul – passando por Várzea, Ginetes, Candelária, Feteiras e Relva - ou pela costa Norte – passando por Bretanha, Remédios, Santa Bárbara, Santo António e Capelas.

  1. Pico do Carvão
  2. Com vista para o centro da ilha e mar, tem em seu redor diversas lagoas das quais se destacam pela sua dimensão as lagoas do Canário, da Rasa e do Carvão.


  3. Sete Cidades
  4. Com as suas duas lagoas, uma azul e outra verde, no interior de uma caldeira com 12Km de perímetro.


  5. Miradouro do Escalvado
  6. Situado na Ponta do Escalvado, com vista para a freguesia de Mosteiros e onde pode observar um magnífico pôr do sol.

PERCURSO 2: PASSEIO DAS FURNAS
Partindo de Ponta Delgada, passando por Ribeira Grande, Porto Formoso e Gorreana, pela estrada da Achada das Furnas, suba ao miradouro do Pico do Ferro (1) para apreciar a vista para o Vale das Furnas (2). Ao descer para as Furnas, poderá fazer um pequeno desvio ao Miradouro do Salto do Cavalo, com vista para a vila de Povoação.

Volte pela mesma estrada e diga em direcção a Furnas, para visitar as caldeiras, a lagoa, o Parque Terra Nostra (3) e os viveiros florestais e de trutas.

O regresso a Ponta Delgada é feito pela costa Sul, passando por Vila Franca do Campo (4) e Lagoa.

  1. Pico do Ferro
  2. Tem uma vista única sobre o vale das Furnas. O Salto do Cavalo, local de onde se pode admirar não só o vale das Furnas, mas também a Vila da Povoação.


  3. Vale das Furnas
  4. É atravessado por duas ribeiras, sendo uma delas de água quente. Com mais de vinte nascentes termais e fumarolas de água quente, lamas e águas medicinais é uma das maiores hidrópoles do mundo. Junto à Lagoa das Furnas é confeccionado o "cozido nas caldeiras", aproveitando o calor da terra. Entre as 12 e as 15 horas, é provável que assista ao "desterrar" do cozido. Aproveite para provar esta especialidade.

  1. Parque Terra Nostra
  2. Local de preservação de uma grande variedade de árvores e plantas exóticas, onde poderá também desfrutar de uma piscina de água quente.


  3. Vila Franca do Campo
  4. Onde, de Junho a Setembro, a partir do cais Tagarete há ligações de barco para o Ilhéu de Vila Franca. É uma reserva natural com uma piscina natural. Perto da vila, a Lagoa do Congro também é merecedora de uma visita.

PERCURSO 3: CIRCUITO A PONTA DELGADA
Confortavelmente instalada, com vista para uma larga enseada, Ponta Delgada é o coração do turismo em São Miguel.
Para descobrir, os museus, os monumentos, as ruas históricas e a marina que dá as boas-vindas aos veleiros que chegam da Europa e da América.

Pontos de interesse:

  • Igreja Matriz (ou Igreja de São Sebastião) - original do século XVI, são visíveis os estilos Gótico e Manuelino. Mais tarde, no séc. XVIII, sofreu alterações na fachada segundo o estilo da época: o Barroco.
  • Igreja de São José - do início do século XVIII, tem uma capela-mor revestida de azulejos da época.
  • Igreja de São Pedro - construída durante os séculos XVII e XVIII.
  • Santuário da Esperança – constituído pelo Convento e Capela de Nossa Senhora da Esperança, local de culto ao Senhor Santo Cristo dos Milagres. Data do séc. XVI.
  • Igreja de Todos-os-Santos – data do século XVIII, sendo que o seu frontispício, que foi iniciado entre 1738 e 1740, nunca chegou a ser concluído devido à expulsão dos Jesuítas.
  • Igreja de Santa Bárbara - data do século XVII, com belos altares em talha.
  • Igreja de Nossa Senhora da Conceição – ao estilo Barroco do Século XVII.
  • Ermida de Sant'Ana – construída nos séculos XVII-XVIII, com estilo Barroco.
  • Ermida da Mãe de Deus - data do século XIX e oferece uma boa panorâmica sobre a cidade de Ponta Delgada.
  • Forte de São Brás – obra do século XVI, alterada e aumentada no século XIX.
  • Portas da Cidade – edificadas no século XVIII.
  • Palácio de Sant'Ana – sede da Presidência do Governo Regional, construído no século XIX.
  • Museu Carlos Machado – instalado no convento de Santo André, alberga um um espólio variado de pintura, escultura, etnografia, zoologia, botânica e mineralogia.
  • Paços do Concelho – sede da presidência da Câmara Municipal de Ponta Delgada, é um edifício barroco dos séculos XVII-XVIII.
 
 
 
TERCEIRA
Como o nome indica, foi a terceira ilha do Arquipélago dos Açores a ser descoberta, depois de Santa Maria e de São Miguel.

Sugere-se um passeio a pé pela Cidade de Angra do Heroísmo, um circuito à Ilha e uma visita ao Algar do Carvão / Caldeira de Guilherme Moniz.

PERCURSO 1: VISITA À CIDADE DE ANGRA DO HEROÍSMO
Tendo como ponto de partida a Praça Velha, parta à descoberta do riquíssimo Património da cidade de Angra do Heroísmo, que desde 1983 se encontra classificada como Património Mundial pela UNESCO.
Uma cidade cheia de história, monumentos (1), casas senhoriais e palacetes (2). As ruas típicas refletem anos de influência dos habitantes vindos de variadas regiões, e dos muitos visitantes e negociantes que por ali passaram ao longo dos anos.

Angra do Heroísmo tem ainda diversos espaços naturais (Jardim Duque de Terceira, Parque Municipal do Relvão), e ainda o Parque Arqueológico Subaquático da Baía de Angra do Heroísmo.
A partir do Monte Brasil terá uma vista deslumbrante sobre a cidade de Angra do Heroísmo a sua baía e marina.

  1. Monumentos
  2. Sé Catedral, com elevado interesse arquitectónico, imagens, pinturas, pratas e paramentos religiosos do séc. XVII, móveis em Jacarandá, retratos a óleo dos prelados diocesanos, o Forte de São João Baptista e o de São Sebastião (que têm guardado a sua costa ao longo dos séculos), Castelo de São João Baptista (imponente fortaleza do séc. XVI), Alto da Memória (Obelisco erguido no local do primeiro castelo de Angra evocando a presença de D. Pedro IV nesta ilha), Museu de Angra (localizado no antigo convento de São Francisco).


  3. Casas senhoriais e palacetes
  4. Palácio Bettencourt, Palácio dos Capitães Generais, Solar da Madre de Deus, entre tantos outros.

PERCURSO 2: CIRCUITO À ILHA TERCEIRA
Saída de Angra do Heroísmo em direção à Praia da Vitória. Alguns quilómetros adiante, vire para Porto Judeu (admire o ilhéu das cabras) passe por dentro da freguesia, siga pela beira mar em direcção à Baia da Salga, Salgueiros (zona balnear) e Porto Martins (zona balnear), seguindo para o Cabo da Praia e chegando à Praia da Vitória (1).

Siga por Lajes, Vila Nova, Agualva, Quatro Ribeiras (zona balnear) e Biscoitos (2), Altares, Raminho, Serreta (mata e miradouro), Doze Ribeiras, Santa Bárbara, Cinco Ribeiras, São Bartolomeu, Negrito (zona balnear), São Mateus (porto de pesca) Cais da Silveira e regresso a Angra do Heroísmo.

  1. Praia da Vitória
  2. Suba ao miradouro do Facho e sugerimos um passeio a pé pela cidade, com visita à Igreja Matriz (pórticos ogivais e capelas manuelinas) e aos Paços do Concelho (que remontam ao séc. XVI).


  3. Biscoitos
  4. Zona vitivinícola importante, produz o afamado Vinho Verdelho dos Biscoitos. Sugerimos a visita ao Museu do Vinho (fundado pela Casa Agrícola Brum) e à zona balnear, com piscinas naturais, sobressaindo o negro das formações vulcânicas e o azul do mar.

PERCURSO 3: VISITA À CALDEIRA GUILHERME MONIZ, AO ALGAR DO CARVÃO E ÀS LAGOAS
Situada no coração da Ilha Terceira, a Caldeira Guilherme Moniz corresponde a uma chaminé vulcânica, não totalmente preenchida pela lava. No interior as paredes e tecto da abóbada estão cobertas com estalactites de sílica e no chão formam-se estalagmites. Tem 15km de perímetro e constitui o maior reservatório de água da ilha Terceira uma vez que a lagoa que aqui existia foi coberta por lava, há milhares de anos atrás.

A lagoa do Negro e a lagoa das Patas também deverão merecer uma visita.

O fenómeno vulcânico do Algar do Carvão é formado por grutas onde podem observar-se maravilhosas estalactites e estalagmites. Situa-se no interior de um vulcão adormecido com cerca de 90m de altura, contendo no seu interior uma lindíssima lagoa de águas cristalinas a cerca de 100m de profundidade. O acesso ao Algar do Carvão está hoje facilitado, com a construção de escadarias no seu interior, que permitem a visualização deste fenómeno natural, sendo possível observar o trajecto percorrido pelo rio de lava, e as curiosas estalactites e estalagmites vulcânicas.
 
 
 
SÃO JORGE
São Jorge é uma ilha que se distingue tanto pela sua forma longa e estreita, como pela presença de numerosas fajãs - formações geológicas que resultam da queda de parte das encostas, ao longo de milhares de anos - algumas das quais onde foram nascendo pequenas povoações.

A partir da Vila das Velas, sugerimos dois percursos para descobrir esta ilha.

PERCURSO
Parta de Velas na direção da Ponta dos Rosais. A caminho passará pela Baía de Entre-Morros, pelo Parque Florestal das Sete Fontes (1) e pela freguesia de Rosais.

No regresso pela costa Sul encontrará excelentes miradouros. Visite também os picos da Esperança (2) e Caldeirinhas (3), continuando depois por Urzelina, Ribeira do Nabo e Fajã de Santo Amaro até voltar à Vila das Velas.

  1. Parque das Sete Fontes
  2. Um espaço de lazer reconfortante com viveiros para diferentes tipos de plantas, lagos calmos e tranquilos, locais de piqueniques e diversão infantil. Dentro do parque poderá visitar também a Capela de São João Baptista.

  1. Pico da Esperança
  2. O ponto mais alto da ilha com cerca de 1000m de altitude. Com céu limpo poderá avistar as restantes ilhas do grupo Central: Terceira, Pico, Graciosa e Faial.


  3. Pico das Caldeirinhas
  4. Conjunto montanhoso que forma uma parte importante do Noroeste da ilha. O ponto mais elevado é no Pico Alto a 809m acima do nível do mar.

 
 
 
SANTA MARIA
Segundo reza a História, foi a primeira ilha dos Açores a ser avistada, por volta de 1427, pelo navegador português Diogo de Silves. Será também a ilha “mais antiga” do arquipélago, com formações que ultrapassam os 8,12 milhões de anos de idade.

Esta ilha possui um grande número de igrejas e outros monumentos, tais como casas solarengas, fortins e marcos históricos, onde o estilo manuelino e barroco marcam presença.

Propomos 2 circuitos à ilha e uma visita à cidade de Vila do Porto.

PERCURSO 1
Saia de Vila do Porto e siga por Pedras de São Pedro, São Pedro (1) e Paúl para descer até aos Anjos (2). Regresse, em sentido inverso até Pedras de São Pedro. Siga por São Pedro, Ribeira do Engenho, Lagoínhas, Feteira, Santa Bárbara. Regresse a Vila do Porto, seguindo por Almagreira, Carreira e Pedras de São Pedro.

  1. São Pedro
  2. Aproveite para visitar a Ermida de Nossa Senhora de Fátima. Datada de 1925, foi a primeira a ser construída depois da Capela das Aparições na Cova de Iria. Para chegar à ermida é necessário subir cento e cinquenta degraus, número de contas do rosário.

  1. Anjos
  2. Povoação à beira mar com um pequeno porto de pesca e uma estância balnear bastante agradável. Visite também a capela onde Cristóvão Colombo mandou celebrar missa no regresso da sua viagem à América.

PERCURSO 2
Saindo de Vila do Porto, siga por Valverde, Almagreira, Brejo. Pare no miradouro, aprecie a bela paisagem, desça até Praia Formosa (1).

De volta, novamente pela mesma estrada, siga por Almagreira, até ao Pico Alto (2), o local mais alto da ilha. Descendo, passe por Loural, Santo Espírito, Calheta, Ponta do Castelo (Farol) (3) e desça até à Maia (zona balnear).

Regresse pela mesma estrada até Calhetas, pare no miradouro sobre a Baía de S. Lourenço e ilhéu Romeiro, desça até São Lourenço (4). Regresse a Vila do Porto, passando por Almagreira (5) e Valverde.

  1. Praia Formosa
  2. Magnífica estância balnear com praia de areia clara e temperatura da água que convida a um banho relaxante.


  3. Pico Alto
  4. Com cerca de 590m de altitude, é o ponto mais alto da ilha e oferece uma magnífica vista panorâmica para toda a ilha e, caso a visibilidade o permita, até à ilha de S. Miguel.


  5. Farol da Maia
  6. Além da experiência que é visitar um farol, este local é um excelente miradouro com uma vista deslumbrante.

  1. São Lourenço
  2. Estância balnear com praia e piscinas naturais, situada no fundo de uma maravilhosa encosta, onde abundam as vinhas que produzem o afamado vinho de São Lourenço.


  3. Almagreira
  4. Aproveite para visitar as ruínas do Forte de São João Baptista, também denominado como Castelo da Praia, que remonta ao séc. XVI.

PERCURSO 3
Visita à cidade de Vila do Porto:
  • Igreja de Nossa Senhora da Assunção em Vila do Porto: original do séc. XV e reconstruída no séc. XVI.
  • Convento de S. Francisco: construído no séc. XVII, possui valiosos azulejos daquela época.
  • Forte de S. Brás: Construído no séc. XVI, durante a ocupação filipina, tem no seu interior a Capela de Nossa Senhora da Conceição e um obelisco em homenagem ao Comandante Carvalho Araújo.
  • Capela do Recolhimento de Santa Maria Madalena: Construída em 1594, pelo padre Corvelo Resende, que conjuntamente com seus irmãos decidiram instituir nesta vila um Mosteiro da Ordem de Santa Clara, tendo como orago Santa Maria Madalena. Em 1600 foi dita a 1ª missa.
 
 
 
FAIAL
Também conhecida por ‘Ilha Azul', devido às inúmeras sebes de hortênsias, é sem dúvida uma das mais encantadoras ilhas dos Açores.

Esta ilha possui trilhos de rara beleza, pelo que, se tiver oportunidade, poderá fazer passeios a pé. A observação de baleias é também uma atividade fácil de programar entre Maio e Outubro.

Propomos um circuito à ilha do Faial, uma visita às Caldeiras e Jardim Botânico e uma visita à cidade da Horta.

PERCURSO 1: CIRCUITO À ILHA DO FAIAL
Ponto de partida: cidade da Horta em direcção ao miradouro da Ponta da Espalamaca (1).
Siga para a Praia de Almoxarife e daí para Pedro Miguel, Ribeirinha, Porto do Salão, Cedros e Praia do Norte.
Faça um desvio até à Fajã, e desfrute da praia.
Siga depois para a Ponta dos Capelinhos (2).
Depois, siga para Capelo, Porto do Varadouro (Estância termal e Zona balnear).
Depois siga para Lombega, Castelo Branco (aeroporto), Feteira.
Siga para a cidade da Horta passando por Angústias, Baía, praia do Porto Pim (Portão Fortificado e Muralhas de São Sebastião).
Suba ao Monte da Guia (3) e termine na cidade da Horta.
  1. Ponta da Espalamaca
  2. Um miradouros sobranceiros à cidade da Horta: daqui tem uma panorâmica da cidade, da praia de Almoxarife e a costa até à Ribeirinha. Pode ainda admirar as Ilhas do Pico e São Jorge.


  3. Ponta dos Capelinhos
  4. Local onde se deu a erupção vulcânica de 1957. Pode também visitar a exposição do Vulcão dos Capelinhos (onde poderá ver fotografias da época que registaram as diversas fases da erupção vulcânica), faziam parte do sistema de defesa da baía de Porto Pim.

  1. Monte da Guia
  2. Desta elevação pode admirar-se a cidade da Horta, a praia do Porto Pim, a costa até à Ponta de Castelo Branco e a Ilha do Pico. No acesso ao Monte da Guia encontra o Museu Centro do Mar: instalado nas instalações de uma antiga fábrica de transformação de baleias (laborou entre 1941 e 1974), este museu é um espaço destinado a exposições dinâmicas sobre termos relacionados com o mar.

PERCURSO 2: VISITA ÀS CALDEIRAS E JARDIM BOTÂNICO
A zona da caldeira fica no centro da ilha. Pelo caminho, aproveite para desfrutar da bela paisagem natural (nomeadamente as Hortenses típicas da região).

A Caldeira é um cone vulcânico que domina a ilha. No cume ampla e funda cratera com 1.450m de diâmetro e 400m de profundidade, revestida de cedros, zimbros, faias, fetos e musgos, parte dos quais são significativos exemplares da vegetação primitiva da ilha.

No regresso, pare no Cabeço Gordo – desta elevação de 1.043m de altitude pode avistar as ilhas Pico e São Jorge e toda a ilha do Faial.

Regresse a Flamengos, tome a estrada para a Horta, e passe pela Quinta de São Lourenço onde se situa o Jardim Botânico.

PERCURSO 3: VISITA À CIDADE DA HORTA
A cosmopolita cidade da Horta tem na sua Marina um dos locais de referência: as suas paredes apresentam um colorido diferente, fruto da imaginação e engenho de todos aqueles que por ali passam e deixam pinturas nas paredes e chão da Marina como testemunho da sua passagem, diz-se que os marinheiros que não o fizerem não chegarão ao seu destino. A cidade da Horta dispõe de um vasto património e vários museus de elevado interesse:
  • Igreja de S. Salvador - é a actual Igreja Matriz, construída no séc. XVII; possui telas, imagens e azulejos de grande valor.
  • Igreja de Nossa Senhora das Angústias – foi construída no séc. XVII, tem no seu interior um presépio atribuído a Machado de Castro.
  • Império dos Nobres – Construído no séc. XVIII, é o primeiro “teatro” construído para as Festas do Divino Espírito Santo.
  • Forte de Santa Cruz – construída no séc. XVI, esta fortaleza protegeu a cidade da Horta de diversos ataques de armadas hostis.
  • Torre do Relógio, construída no séc. XVIII, foi o que restou da antiga Igreja Matriz demolida no séc. XIX.
  • Museu da Horta – reúne uma vasta colecção de trabalhos em miolo de figueira, expressão artesanal, característica desta ilha.
  • Museu de Arte Sacra – Instalado no Convento de S. Francisco (edificado no séc. XVII, possui interessantes painéis e azulejos). Possui interessante estatuária religiosa, assim como escultura flamenga do séc. XV.
  • Museu de Scrimshaw – situado por cima do “Peter-Café Sport”, reúne uma vasta colecção de peças dos mais conceituados artesãos.
 
 
 
PICO
O Pico é a segunda maior ilha dos Açores e casa da maior elevação do território português: um majestoso vulcão que domina a ilha do alto dos seus 2.351m de altitude.

Além de uma escalada ao Pico - naturalmente na companhia de um guia especializado - sugerimos dois percursos para conhecer um pouco deste local único.

PERCURSO 1
Saindo de Madalena (a maior povoação do Pico) em direção a Lajes do Pico (1), vire para a estrada que atravessa a ilha no sentido Oeste-Leste para uma visita a Furna de Frei Matias (2).

De volta à estrada, paragem obrigatória à Lagoa do Capitão (3).

Depois siga em direção a Lajes, fazendo um desvio para as Lagoas do Caiado e Paul. Continue para Silveira e no caminho de volta a Madalena pela estrada do sul da ilha, passará ainda por São João, São Caetano, São Mateus, Candelária, Monte e Criação Velha.

  1. Lajes do Pico
  2. Nesta vila baleeira poderá visitar o museu dos baleeiros e conhecer o artesanato típico em dente e osso de baleia.


  3. Furna de Frei Matias
  4. Parte da Reserva Natural da Montanha do Pico, a Furna de Frei Matias é um túnel com mais de 600m de comprimento, formado na lava e atravessado por poços de luz. Proporciona um habitat único a várias espécies de plantas.


  5. Lagoa do Capitão
  6. Localizada a uma cota média de 826m de altitude, é a maior lagoa da ilha do Pico. Nas suas imediações poderá visitar o Cabeço do Teixo e várias ribeiras, nomeadamente a Ribeira de Dentro, a Ribeira da Laje e a Ribeira Seca.

PERCURSO 2
Partindo das Lajes, siga até à Furna de Frei Matias e continue pela estrada que atravessa a ilha, desfrutando da magnifica vista sobre a costa norte do Pico e Ilha de São Jorge.

Poderá optar por seguir em direção a Madalena, apreciando a vista sobre a vila, os ilhéus, e a ilha do Faial. Em alternativa, continue para São Roque do Pico e siga pela estrada junto à costa, apreciando a bela paisagem.

Desça até Santo Amaro (1), regressando pela mesma estrada até à estrada regional. Pouco depois vire à esquerda, parando no Miradouro da Terra Alta (2) para apreciar uma vista deslumbrante.

  1. Santo Amaro
  2. Uma terra onde a construção naval teve grande importância e onde ainda hoje funcionam alguns pequenos estaleiros navais. Aproveite para visitar a Escola de Artesanato.


  3. Miradouro da Terra Alta
  4. Deste miradouro pode-se observar a Ilha de São Jorge e a imensa paisagem que a riqueza florestal da Ilha do Pico oferece.

 
 
 
GRACIOSA
É a ilha mais pequena do Grupo Central dos Açores, com paisagens de grande beleza, onde o verde das pastagens contrasta com o branco das casas isoladas e das povoações.

A partir da capital - Santa Cruz da Graciosa - sugerimos dois percursos à descoberta deste pequeno mundo que nos faz esquecer o tempo.

PERCURSO 1
Partindo de Santa Cruz na estrada para Guadalupe, continue para Pontal, Feteira e Pedras Brancas, fazendo depois um desvio para a Caldeira e Furna do Enxofre (1).

Siga pela estrada da Luz até ao Carapacho para uma visita às termas (2). Fazendo um desvio no trajecto poderá visitar a zona dos ilhéus.

Ao continuar pelo litoral, passará por Fenais, Praia e Quitadouro até regressar a Santa Cruz. Antes de terminar este percurso faça uma visita ao Monte de Nossa Senhora da Ajuda (3).

  1. Caldeira e Furna do Enxofre
  2. Situada no fundo da Caldeira da Graciosa, a Furna do Enxofre é um fenómeno geológico único no mundo: um túnel de 100m de profundidade que termina numa gruta com 180m de diâmetro, com uma abóbada que chega aos 80m de altura. Nas profundezas há um lago com cerca de 130m de diâmetro e uma profundidade máxima de 15m. Sugere-se uma visita entre as 11 e 14 horas para aproveitar a luz solar.

  1. Termas do Carapacho
  2. Uma importante estância de veraneio conhecida pelas suas termas e pela extensa zona balnear anexa. A água - a temperaturas entre os 35 e os 40 graus - provém de uma nascente situada dentro do próprio edifício das termas e é indicada no tratamento de doenças reumáticas e pele.


  3. Monte de Nossa Senhora da Ajuda
  4. Proporciona uma bela vista panorâmica sobre Santa Cruz e sobre a parte norte da Ilha. Aqui pode visitar três ermidas dedicadas a S. João, S. Salvador e Nossa Senhora da Ajuda.

PERCURSO 2
Parta de Santa Cruz pela estrada à beira mar, fazendo a primeira paragem no miradouro de Ponta da Barca - aproveite para visitar o farol (1). Continue, passando por Senhora da Vitória e Porto Afonso.

Subindo para o Pico da Terças poderá observar uma das mais belas vistas panorâmicas da Graciosa. Vire para ver o miradouro das Almas e depois siga para a estrada que atravessa a Serra Branca. Prossiga por Fajã, Luz, São Mateus (Praia) e Quitadouro para regressar a Santa Cruz.

  1. Farol Ponta da Barca
  2. O farol da Ponta da Barca entrou em funcionamento em 1 de Fevereiro de 1930. Com 23m de altura e 71m de altitude é, provavelmente, a torre mais alta do Arquipélago dos Açores.

 
 
 
FLORES
A ilha das Flores é considerada uma das mais belas dos Açores, talvez pelas milhares de hortênsias de cor azul que dividem os campos e acompanham as estradas e as margens das ribeiras e lagoas.

Com 17km de comprimento por 12,5km de largura, é relativamente fácil conhecer a ilha inteira, no entanto sugerimos dois percursos principais a partir da capital do concelho, Santa Cruz das Flores.

PERCURSO 1
Parta de Santa Cruz a caminho de Lajes das Flores, passando por Caveira, Lomba e Fazenda.
Em Lajes, desça até ao porto para uma visita ao farol, à igreja de Nossa Senhora do Rosário e à Capela de Nossa Senhora das Angústias. Continuando no sentido de Lajedo, viste as caldeiras Rasa e Funda (1).
Siga para o miradouro do Alto do Mosteiro e continue para uma visita à Rocha dos Bordões (2).
Desça à Fajã Grande, com passagem pela Fajãnzinha e regresse a Santa Cruz pela estrada de belas paisagens que atravessa a ilha.

 

  1. Reserva Natural das Caldeiras Funda e Rasa
  2. É uma Área de Protecção Ambiental. A Lagoa da Caldeira Funda tem 22m de profundidade, é dotada de uma queda de água e tem margens bastante altas e povoadas por uma grande quantidade de plantas endémicas da flora dos Açores. A Lagoa da Caldeira Rasa tem uma profundidade de 16m e é rodeada por margens baixas e suaves. Toda esta área é enquadrada num fundo verde salpicado de flores coloridas, um cenário natural de rara beleza.


  3. Rocha dos Bordões
  4. Um magnífico monumento geológico formado pela solidificação da lava, que criou estrias verticais, dando origem a um morro com uma altura significativa.

PERCURSO 2
Saindo de Santa Cruz na direção de Ponta Delgada, a primeira paragem é no Parque Florestal da Fazenda (1). Siga para o Miradouro da Rocha dos Caimbros, para admirar a Baía da Alagoa (2). Continue por Cedros até Ponta Delgada admirando o melhor com que a natureza dotou esta ilha. Regresse a Santa Cruz pela mesma estrada.

  1. Parque Florestal da Fazenda
  2. Onde poderá visitar o viveiro das trutas e o recinto dos veados e ainda desfrutar de uma rede de caminhos e miradouros interiores com vista para picos e quedas de água, churrascos e mesas de madeira protegidas por alpendres.

  1. Miradouro da Rocha dos Caimbros
  2. Em frente à Alagoa poderá visitar o miradouro da Rocha dos Caimbros e desfrutar de uma extraordinária paisagem de falésia e mar: a ilha do Corvo em fundo e os vários ilhéus dos quais se destacam o da Fragata, o Garajau, o Ilhéu dos Carneiros, e o Ilhéu de Álvaro Rodrigues.

 
 
 
CORVO
A ilha do Corvo é a menor das ilhas do Arquipélago dos Açores.

A única povoação da ilha – a Vila do Corvo – é um aglomerado de casas baixas com ruas estreitas e tortuosas que sobem as encostas, conhecidas localmente por canadas.

Sugerimos um percurso para conhecer esta ilha.

PERCURSO
Seguindo a estrada que leva ao interior da ilha, chegará ao Monte Grosso (1).
Daqui poderá admirar o Caldeirão (2), uma lagoa formada numa cratera sem actividade. Não deixe de visitar ainda o miradouro natural do Morro do Pão de Açúcar.
O regresso à Vila do Corvo (3) faz-se pela mesma estrada.

  1. Monte Grosso
  2. É o ponto mais elevado da Ilha com 770m de altitude e um ponto privilegiado de observação do Caldeirão.


  3. Caldeirão
  4. Com cerca de 3,5km de diâmetro, o Caldeirão é uma das mais imponentes crateras vulcânicas do arquipélago e domina todo o norte da ilha.

    A cratera atinge o seu ponto máximo no Morro dos Homens que, com 718m de altitude, é o ponto mais alto da ilha. As escarpadas paredes escondem a base da cratera a uma profundidade de 300m.


  1. Vila do Corvo
  2. Onde se destaca a Igreja de Nossa Senhora dos Milagres, construída em 1795.
    No interior, entre várias imagens, poderá admirar a estátua da padroeira, obra flamenga do século XVI, um Cristo em marfim e uma imagem em madeira de Nossa Senhora da Conceição.
    Além da igreja não perca a Casa do Espírito Santo, no típico Largo do Outeiro.
    Foi fundada em 1871, seguindo a traça simétrica típica das Casas do Espírito Santo das ilhas das Flores e Corvo.